05 março 2009

Palavras para quê?

Quando era pequeno e via o Demis Roussos pensava que ele era uma imagem de Cristo. Confesso-vos, agora já quarentão, que nessa altura tinha medo de tal personagem, tão grande, tão barbuda e cabeluda, ela era.
Hoje em dia, já não o confundo com o filho do Criador e muito menos temo a sua silhueta. No entanto há algo que fica cá dentro, um qualquer trauma, que me faz, ainda hoje, tremer um pouco perante este grego, que nasceu no Egipto e que canta em inglês. Não sei se é o seu porte, a sua incrivel voz ou o facto de, há uns anos a esta parte, ter-me sido dada pelo miúdo a hipótese de recriar vocalmente tamanho monstro, na nossa versão a cappella deste Goodbye my love, goodbye.
Hoje deixo-vos este vídeo com o enorme Demis e o Exército Vermelho. Alguns dos cantores parecem saídos ou da guerra fria ou de Chernobyl e o grande Demis que não é russo, mas Roussos, está com uma pose de Czar, de meter inveja ao Nicolau, ou até mesmo ao brilhante Rasputine.
Coisas destas já raramente aparecem! Felizmente esta estética, este gosto tão especial, ainda existe para lá da cortina que já não é de ferro.

2 comentários:

Rosa Y Casaco disse...

Só falta o Katsouranis:

http://www.youtube.com/watch?v=Dbq1zIQ0IPU

Alexandre disse...

Uma curiosidade: Porque deixaram a antena do Rádio Clube? Gostava de vos ouvir!
Um abraço