13 julho 2009

Pierre Van Hauwe


Pierre Van Hauwe é um dos grandes vultos da pedagogia musical. Este fim de semana, disseram-me que ele morreu há já 15 dias...

Também eu, como uma grande parte da população Europeia e um pouco por todo o Mundo, desde há cerca de 50 anos, iniciei a minha aprendizagem musical através da pedagogia do Pierre inspirada por Karl Orff(seu amigo). Desde cedo, não sei se marcado pela pedagogia em si ou se pelos professores que a aplicaram, ele foi uma referência para mim. Primeiro como aluno e agora como professor.

Vai fazer neste final da semana um ano que, tive honra de ser convidado para ser um de quatro formadores de um curso de didáctica e pedagogia musical e, inesperadamente, um desses formadores foi o Pierre. Esta experiência, deu-me o privilégio de privar um pouco com ele... e perceber a grandeza da sua pedagogia que é sobre tudo Humana tal como a música. O que me levou novamente a reflectir acerca do que se anda a ensinar aos alunos e aos alunos futuros professores...

Toda a sua força deixou-me um jantar sem jantar... feito parvo, com aquele sorriso de quem sorri para não falar, porque cada minuto que eu o fizesse perder a ouvir-me era menos uma enormidade de conhecimento que eu estaria a desperdiçar.

Fico muito triste com a sua partida e com a força que levou com ele. Eu sei que ele se esforçou muito para deixar aqui alguma da sua sabedoria, mas também sei que há pessoas grandes de mais para uma vida tão pequena!

8 comentários:

Anónimo disse...

E curioso,Tomi, que eu, sendo "profesor de musica" porque rematei a carreira neste ano, nunca escoitara nada de esta persona, nin sequera mencionala nunha clase ou algo, coma Suzuki, que soa o seu nome, pero descartase porque pedagoxicamente afastase do que se ensina na Facultade de Ensinanza Musical, por aplicarse mais nun conservatorio...
Desvelo aqui a miña ignorancia ao non saber nada diste home...

Pasoume o mesmo con Theodore Bikel, marido de Tamara Brooks, directora americana, coñecido sobre todo polo seu papel do xudio Tevye no musical "Fiddler on the Roof"...
Sentinme exactamente igual ca ti, porque non podia deixar de maravillarme de todo o que me decia, pero como ceamos xuntos, e xa esa noite marchaba pra america, pouco pudimos falar, pero foi todo moi edificante...
Espero que este ano poida volver a velo, teño ganas de falar con el...

Gracias por aguantar este comentario... espero que guste...

Marcos (un fiel seguidor dende a Galiza)

Tomi disse...

:) Marcos,
eu é que agradeço a fidelidade.

Gostei muito do comentário. De facto, estive agora a fazer uma curta pesquisa na net, e não descobri nada em Espanha acerca do Pierre. Apenas umas partituras de um Walter van Hauwe que não sei se será da família... Mas confirmei o seu trabalho em muitos países pelo mundo fora. Desde Holanda,Alemanha, Noruega, Lituânia, México, Brasil, Israel, etc.
Pena, se não esteve em Espanha, ele era fabuloso...
Quanto ao Theodore Bikel, conheci nas várias pesquisas que fiz pela Net, no ano passado, aquando da estreia do musical feito em português. A minha filha mais velha fez a personagem Shprintze(a 2ª filha mais nova de Tevye).
Grande cantor, pelo que tive oportunidade de ouvir.

Grande abraço e obrigado, mais uma vez!

Maria (portugal-on-line) disse...

Reflectindo sobre este tipo de "partidas" apraz-me com pesar dizer que as "flores" mais bonitas, são sempre as que são colhidas mais prematuramente, talvez pela sua Beleza e permanecem no "Jardim" as defeituosas ou feias..
Beijos, continuação de bom trabalho para todos, ou Férias como o meu caso.

Joca disse...

Chega a minha vez de vir aqui dizer que um dos primeiros cursos de verão que fiz (o primeiro mesmo, talvez em 82) foi com o Walter van Hauwe, filho do Pierre van Hauwe. Depois disso tive muito contacto com todo o trabalho do pai (que também conheci nesse curso, pois ele também por cá apareceu) e é engraçado perceber como muitas das estratégias de trabalho, como os fundamentos e bases teóricas que uso, têm como base o que ouvi e li deste senhor e do filho.
Lamenta-se sempre a perda, mas é muito bom perceber-se que há gente que passa pela terra e de facto sabe viver bem a vida... e como bónus deixa-nos obra, da boa. O Pierre foi uma dessas pessoas. Obrigado.

Anónimo disse...

Lamentavelmente Pierre faleceu a 25 de Junho...pena que haja professores de música que não conheçam a sua obra, a sua pedagogia...sobretudo que ousem duvidar do seu trabalho.
Estudei com ele durante 30 anos (sou prof. de música) e devo dizer que não só eu, milhares de portugueses mudaram suas mentalidades, sua forma de ensinar depois de o "conhecerem"!
Efectivamente ele nada tem a ver com Espanha...mas com o mundo inteiro! Procura no google e encontrarás muito acerca do seu trabalho, da sua obra. Quanto ao valter ou walter van Hauwe, sim é um dos seus filhos, também conhecido mundialmente.

marcia pinto-porto disse...

Como 'orffica' desde pequena..deparei-me com esta triste notícia...pesquisei no google, mais uma vez "pierre va hauwe", pois n quis acreditar q esse Grande Homem teria desaparecido...soube demasiado tarde! apenas hj, atraves da pagina da minha antiga escola de musica (www.orffporto.org)...
mas realmente, nestes momentos, recordam-se os momentos já passados com esse ser Humano!! incrível :)
sou apenas uma jovem de 25 anos. mas ligada à musica dsd sei la quando...e ter tido o Pierre,como maestro em algumas situações, foi das situaçoes mais divertidas! desde o facto de ele vibrar cm as músicas, ao caso de saber 'mil e uma linguas' para poder comunicar com a pequenada da altura - da Orquestra Orff do Porto.
E realmente concordo, o Pierre tem obras/trabalho por este mundo fora!
E agora, que vou retomar o meu lugar na Orquestra, é com saudade que irei lembrar, de cada vez que ensaiar uma peça dele!!! :')

Bem-Haja!

Márcia Pinto.

marcia pinto-porto disse...

E ainda, ter tdi o privilégio de ter tocado com uma das suas Orquestras, Orquestra de Delft---no grandioso anfiteatro da Universidade de Delft! e ver toda aquela gente aplaudi-lo de pé!!! fantástico...
agora, todas as coisas passadas, vem-me à memória aos poucos.....

maria mota disse...

Caros colegas,
tive o privilégio de privar com este Senhor durante alguns anos. Que grande homem, que grande MESTRE!
Estudei com ele em Delft, estudei com ele em Portugal, organizei algumas dezenas de cursos em Anadia onde consegui juntar algumas centenas de profissionais. Que momentos maravilhosos aqui passámos! Quanto imensidão conseguimos levar nas nossas bagagens ao fim de dois ou três dias...Pierre , onde quer que estejas jamais te esquecerei! Tanta coisa mudaste em mim, na minha forma de ser e de estar enquanto professora. Obrigado! Todos perdemos imenso mas a tua obra, essa cada um de nós continuará concerteza a desenvolvê-la. Até sempre. Maria Mota