10 outubro 2008

Costuletas há salsicheiro

Tenho um fascínio especial pelos erros de escrita com que habitualmente choco. Os mais bonitos são, sem dúvida, os das ementas.
Esta semana, na mesma casa de pasto, ali para Matosinhos, consegui ler costuletas há salsicheiro, batatas cuzidas e panados rechiados. Infelizmente não consegui tirar a fotografia desejada, porque a ementa não fica a jeito da máquina... ou melhor, ao tirar a foto poderia arriscar-me a ficar para sempre impossibilitado de ver coisas tão lindas como estas.
Mas voltando às ementas e à restauração em geral, nunca me esquecerei da placa de Lavavos num restaurante que frequentei várias vezes na beira alta. Ou a lousa gigantesca que vi há umas semanas atrás no exterior de um restaurante: Rozões. Tive que ler várias vezes e com sotaque, para perceber que o prato do dia era Rojões à Moda do Minho. Desta, tenho foto... não posso é colocá-la hoje aqui porque... não vos interessa... arrumações em curso aqui pelo escritório...
As sobremesas são no entanto o toque de Midas dos desvios ortográficos. A culpa é dos nomes estrageirados de algumas das nossas iguarias. Quem já não viu uma Babaruase? ou uma maravilha, que uma vez comemos nos arredores de Lisboa, de nome Pavarote? Depois, há tantos grafismos para a mousse que já nem a Academia de Letras deve saber qual a forma mais correcta de escrever o nome deste doce. Por escrever doce... doçe também é um clássico já como qualquer palavra em que o cê preceda um e ou um i. Até na televisão do serviço público se pode ler legendas como Françês.
Os exemplos são inesgotáveis. Tenho tirado algumas boas fotos, que fazem já uma bela colecção. A que deixo hoje aqui diz-me muito. Foi tirada em Serralves, naquela maratona do último fim-de-semana de Junho, e nem o ar culturalmente saudável da Fundação escondeu a Percursão. Este erro, que também já vi em capas de discos (onde as percursões são tocadas por percursionistas), foi um dos mais horríveis que já vi... não nesta situação em Serralves, mas na Universidade de Aveiro, onde pela primeira vez me confrontei com a anormalidade. No departamento de Música e na porta da sala de percussão lá estava em letras gordas e vacais: Sala de Percursão! E não houve durante muito tempo, besta que chegasse ali e arrancasse o erro...


10 comentários:

São Rosas disse...

E vocês nunca assistiram a um concerto de sapatos?
E no Gerês, onde vendem chá para o costrol?

Anónimo disse...

Quando voltam a Viseu?

Adorei ver-vos na FNAC!

Joca disse...

São,

eu adoro essas preciosidades... há uma, que não é escrita mas resulta de desvios da oralidade, que me foi contada por uma amiga psicóloga. No consultório dela apareceu uma mãe com a filha, adolescente que rondava os 14 anos e aparentemente muito tímida e apagada, e pediu à minha amiga para ver se conseguia abrir-lhe as cédulas.

Anónimo,

voltaremos sempre a Viseu, desde que Viseu nos queira! (eufemismo para dizer ao Sr. Ruas que contrate as Vozes para o Viriato, onde já estivemos algumas vezes).

bjs e abs

jp

São Rosas disse...

Sabes, Joca, um dia destes a funda São, com o Raim e a Gotinha, vai publicar em livro o «DiciOrdinário».
Acho que a recolha destas preciosidades de que dás exemplos também dava para um livro interessante.
Fica a ideia ;O)

Joca disse...

Obrigado pela dica São! A ideia de escrever sobre a estupidez (minha e alheia) é recorrente. Ainda há pouco tempo recordei umas coisas horriveis que escrevi há uns 15 anos: "6 histórias de enojar", que provavelmente já desapareceram num disco duro qualquer... Uma benção para a Humanidade. A falta de tempo associada à desorganização mental têm impedido o meu contributo para a arte literária. Mais uma vez, uma benesse para o Mundo.
De qualquer modo, vou guardando as fotos (até que um disco duro deixe de funcionar) e quem sabe um dia...

bjs

jp

São Rosas disse...

Vai fazendo a compilação. Olha, o «DiciOdinário» vai explicar o sentido real dessa palavra...

Joca disse...

São,

Faz-nos saber o dia do lançamento do vosso "DiciOrdinário". É, com certeza de leitura imprescindível.

bjs

jp

São Rosas disse...

Está descansado que isso vai ser mais falado que o meu grelito ;O)

Anónimo disse...

Tenho de ter uma conversinha com o Sr Ruas, tenho tenho!!

Quero-vos ca de novo!!!!!!


Um beijinho,


Inês

Sayuri-chan disse...

Hahahahaha!!! Que grandes 'tramoços'!!