19 outubro 2008

Próxima paragem

Depois de na sexta-feira termos cantado em mais um jantar de boa digestão para um público internacional (tão internacional que não consigo escrever aqui todas as nacionalidades dos presentes), seguimos já para a semana para a Inglaterra.
Até hoje ainda não revelamos nada do que lá vamos fazer, acima de tudo porque nem nós tínhamos muitas certezas. Chegados ao dia de hoje tudo está mais claro e posso dizer que na quinta-feira, dia 30, estaremos em Great Yarmouth para cantar no Four Corners in a Round, um espectáculo multi-artístico com músicos, cineastas, pintores e escultores. Tudo dirigido pelo nosso amigo Tim Steiner, com quem eu tenho já trabalhado em alguns projectos. "The event includes Portuguese vocal legends Vozes da Radio..." é como está na brochura do Out There Festival, nome de todo o festival que decorre na cidade do nordeste inglês. No dia 31, sexta-feira, as mesma legends estarão no "The Melting Pot Cabaret Sessions" onde mais uma vez levaremos o melhor da cultura portuguesa de cabaret.
Em relação ao evento do dia 30, que será no Hippodrome, o único teatro de circo construído para o efeito na Europa (e isto é o que ele dizem), um fantástico edifício vitoriano para mil pessoas, o que vamos apresentar é completamente outstanding (uso de propósito o anglicismo). Vamos actuar com um coro de cem vozes inglesas e com um ensemble instrumental de músicos da Royal Philarmonic. Com as vozes inglesas cantaremos um fado! Qual? Pois será coisa para ir vendo por aqui. Quanto à música a fazer com o ensemble da R.P.O., já hoje posso dizer qual é. É o "Rouca vai a campaínha", cançoneta que fizemos para a inauguração do Museu dos Transportes e das Comunicações, e que será lá apresentada em versão de pequena orquestra. Por isso já no próximo sábado estarei em ensaios em Londres com os ditos músicos. A escolha deste tema foi condicionada por uma série de factores: primeiro é uma grande canção, como aliás qualquer uma das nossas, depois é claramente latina, a seguir, porque o eléctrico do Porto foi construído por ingleses.
Para ainda abrilhantar mais esta performance do "Rouca vai a campaínha", o Museu do Carro Eléctrico vai ceder-nos uma série de fotos fantásticas, a preto e branco, do amarelo em viagens pela nossa cidade, na década de 40 e 50. Essas imagens serão projectadas em todo o Hippodrome.
Boas notícias, não?
Bom domingo.

10 comentários:

São Rosas disse...

"Portuguese vocal legends Vozes da Radio"?!
Eu sabia! Vocês no estrangeiro cantam e vão passando as legendas!

Joca disse...

São,

Exactamente! Isto faz-me lembrar a altura em que o Ayrton Senna morreu e um comentador que fazia tradução em simultâneo insistia em dizer que ele era uma legenda do automobilismo. Nós somos do vocal... nada a mal!

Joca disse...

... nada mau e não nada a mal!

bjs

jp

José disse...

Parabéns Jó...

Pode ser que seja desta....

Um detalhe que julgo ser importante. Uma boa parte dos equipamentos em trânsito (eléctricos) eram Belgas... mas tentarei apurar....

JAAP

Tany disse...

Saudades da grande voz do Mário Alves, e nesta canção está mesmo excepcional!

Quanto ao resto, parabéns Joca :)

Beijinhos

Pedro Samuel Almeida disse...

Ola Vozes ! Daqui novamente Pedro : ) *

Espero que corra tudo bem por lá! :)
São uma lenda mesmo ! :) *


Ah!Fica aqi o url do myspace do meu projecto bigbandistico, ainda com muito trabalho para apurar. Deixem o feedback algures, se for possivel. www.myspace.com/zeferinosbigband

To disse...

É de facto uma grande canção! É daquelas que basta ouvir uma vez e já se canta! Foi o que aconteceu comigo. Além disso fala do Porto e ... PRONTOS NUM É???
Abraço

Joca disse...

Caríssimos,

Já agora para acrescentar algo ao que já escrevi, deixem-me contar que, ao contrário de tantas outras canções,desta sei o dia e quase a hora em que a fiz. Em Dezembro de 2000 fizemos a inauguração do museu da alfândega. Foram apenas 35 minutos de espectáculo, porque assim deveria ser. Em Janeiro de 2001 o espectáculo foi apresentado ao público. Para esses espectáculos eu e o Mário achamos que deveria haver mais canções. E assim, no dia 1 de Janeiro de 2001, o Mário, seriam umas quatro da tarde, mandou-me uma mensagem a dizer que no mail estava a letra do "Eléctrico". E aquilo soou-me tão musical na primeira leitura, que naquele espaço entre o almoço e o lanche a música apareceu.

beijos e abraços

jp

S.A. disse...

Gostei muito!
Boa Sorte nas proximas Paragens do "Eléctrico" =P

frank disse...

Um grande abraço para o "vilhas", extensível ao resto do Gang.

Há quanto tempo...


Frank,
Arouca