25 maio 2011

... e agora o do acordo

Mais uma vez sou condicionado pelo escrito anterior. O que tinha em mente escrever era algo mais elaborado. Algo sobre minimalismo, sobre como arranjar uma forma fácil de viver e ainda sobre a forma de enganar almas puras e ingénuas. A verdade é que acabo de sair de um concerto do Philip Glass e depois de ouvir 6 peças diferentes tocadas ao piano pelo próprio (seis porque ele disse... na realidade a peça foi sempre a mesma aos meus ouvidos) descobri que afinal podia ser um pianista de sucesso! O truque é saber como apresentar-me e não ter de tocar tudo direito... bom, mas isto afinal passou para segundo plano depois do samba que o miúdo aqui colocou que de resto é bem mais interessante.

No rescaldo deste samba do acento, fizemos nós o do acordo ortográfico cuja história já está escrita algures aqui nas paredes do tasco. Procurem que encontram. O único dado novo é que este mesmo video esteve na capa do jornal Estado de São Paulo versão on-line e eu, pai e mãe da coisa, tive direito a entrevista, regurgitando cá para fora o que me ia na alma sobre o dito acordo. De passagem senti-me um Nuno Rogeiro a opinar sobre as coisas da vida.

E pronto amigos, dançai e escrevei todos como vos aprouver, que eu vou dormir.

3 comentários:

Anónimo disse...

Philip Glass era hoje... :(

Mesmo assim gostava de ter ido. Pelo menos fiquei a saber quantas peças tocou, já não é mau!

Cati

Luísa Isabel disse...

e o galego? :-)
beijinhos

Joca disse...

Galego 1- Philip Glass 0