22 agosto 2007

Encontros I

Esta nossa terceira série no Casino Lisboa foi marcada por uma série de encontros. Na segunda-feira, estava eu a almoçar no Jardim Zoológico, reparo que à minha frente estava o bom amigo António Mão de Ferro, homem cá do Porto e guitarrista dos GNR. Andava ele e eu, na tarefa de mostrar que há animais que fazem mais macacadas do que o pai. Disse-me que dia 24 (sexta-feira) os GNR estarão em São João da Pesqueira. Coincidência engraçada, pois tenciono andar pelo Douro Sul nesses dias. Será oportunidade para os ouvir e dar um abraço à rapaziada. Depois às 19 horas fomos para o Rádio Clube Português. Eu e o Jony chegámos primeiro e encontrámos o verdadeiro Senhor Voz da Rádio. Já nos tínhamos cruzado noutras ocasiões, mas desta vez conversámos um bocado e é claro, foi imperioso registar o momento:Jony e Fernando Correia: duas Vozes da Rádio. Sabendo do seu sportinguismo dedicámos-lhe o Leãozinho, que cantámos durante a entrevista.

Às portas do estúdio onde íamos entrar em directo no programa Janela Aberta (e não Indiscreta como aqui referi… o Hitchcock é uma constante na minha cabeça) vejo que é o Aurélio Gomes que nos vai entrevistar. Mais do que um encontro, foi um reencontro com um tripeiro que muitas vezes ouvi na Rádio Nova com o Prof. Júlio Machado Vaz. Julgo que o conheci em 91 no início das Vozes (começo a parecer-me com o Júlio Isidro… já conheço meio mundo). Em 95 seguramente estivemos juntos na Nova na promoção do nosso primeiro disco, e numa noite em que nós, VdR, fomos tomar um café a Alcântara (saímos do Porto depois do jantar e voltámos de madrugada… a idade já não permite estes exageros) lembro-me de ter falado com ele sobre a mudança para Lisboa e para a Comercial. Disse-nos ele que já foi há uns 10 anos…Nós e a Voz das tardes do Rádio Clube Português. Entre outras enormes qualidades, o Aurélio Gomes é tripeiro e benfiquista.

À noite cantámos para uma série de amigos: O Manel Paulo, o Monge, a Maria, a Joana, o Pablo, a Inês, a Filipa, a Rita, a Ana e os dois amigos da Inês que não fixei o nome. Estiveram todos no Arena Lounge e no fim fomos comer umas mistas e beber umas imperiais a um sítio com um grande ambiente (porque se tratava de uma sala grande e vazia… só por isso). No bar ao lado karaokeava-se. À saída fomos saudados por um karaokeador que no meio de uma canção dos Simply Red nos dedicou o seu esforço. Força homem e que nunca te doa a voz!
Terça-feira trouxe-nos mais encontros. Fomos jantar todos a casa do André, meu afilhado, que se mudou para Lisboa há 9 anos! É engenheiro (dos verdadeiros, mesmo, da Feup!) na NAV e conseguiu reunir as Vozes todas à mesa, coisa que já não acontecia há dias! Foi um fim de tarde fantástico seguido de marcha apressada pela Alameda dos Oceanos para nova cantoria no Casino. Lá esperava-nos o Carlitos (o nosso vídeo-man) e o Marco (mais um amigo do Porto).
Hoje e para terminar o capítulo dos encontros, encontrei a Ana Lamy, da Antena 3, na área de serviço de Leiria. Foi mais um reencontro agradável com uma das Vozes da Rádio que já nos entrevistou várias vezes. Afinal, e ao contrário do que diziam os Buggles no Vídeo Killed the Rádio Star, ainda há muitas Vozes da Rádio bem vivas.

2 comentários:

Tomi disse...

Ser uma fantástica Voz da Rádio e tripeiro já são dois dons. Como um GRANDE AMIGO nosso dizia:"Bidom existe mas tridom é mentira". Eu concordo com este nosso amigo, logo concluo que devo duvidar de um terceiro dom retratado no queridíssimo Aurélio neste esgalhanço.

marafuz disse...

Muito bom!

Encontros em catadupa assim enchem o coração de um gajo!

Empolgante de ler este post!

Falemos de mim tomi.

Não tripeiro, alentejano. UM DOM
Não porteiro, benfiquista. DOIS DOM
Residente e amante do Norte. TRÊS DOM

hi hi

Abreices