27 outubro 2007

Meter o nariz!

Se houvesse um mundo, já nem diria perfeito, mas apenas justo, não havia necessidade de existirem Doutores Palhaços, nem a Operação Nariz Vermelho, porque simplesmente não haveria hospitais pediátricos. Infelizmente não é assim, e estamos mesmo plantados num mundo injusto. Talvez por isso o Criador, para disfarçar o erro da criação, abençoou uns tantos que transformam este erro, num divertido dano colateral. São os verdadeiros santos dos nossos dias, pois operam milagres reais nos hospitais deste país. E são santos em vida, sem precisarem do rigoroso controlo dos avaliadores de milagres, e sem terem de ganhar o título “canalizado pelo Vaticano em mil novecentos e qualquer coisa”. Estes são santos por obra e graça e à falta de bênção papal, atribuo eu o título.
Na quinta-feira à noite estivemos no lançamento da campanha Operação Nariz Vermelho no Porto e ficámos esmagados com a grandeza desta gente.
Tudo começou em Agosto com um mail da Nicole Azevedo, madrinha da Operação Nariz Vermelho. Perguntava ela se podíamos colaborar. A nossa resposta imediata foi: diz-nos só o dia, a hora e o local. Assim, passámos pelo estúdio do Pedro Lobo no início de Setembro, para tirarmos umas fotos com nariz de palhaço. O lançamento iria incluir uma exposição com fotografias de uma série de figuras públicas a meterem o nariz onde são chamados! Em Serralves estiveram expostos dezenas de rostos conhecidos. Palhaços ricos, muitos, e pobres, nós. Querem nomes: Belmiro de Azevedo, Paulo Azevedo, Nuno Azevedo, Artur Santos Silva, António Borges, Lobo Xavier, Rui Moreira, os nossos colegas Reininho e Manuela Azevedo, o Vítor Baía, Ricardo Pais, João Fernandes, Miguel Vieira, Katty Xiomara, Aurora Cunha, a nossa madrinha Nicole Azevedo, Batata Cerqueira Gomes, Luísa Beirão, Diana Pereira… e que me desculpem os outros retratos, mas a memória já não dá para mais. Fotografias extraordinariamente bem tiradas pelo Pedro Lobo preencheram as paredes da Casa de Serralves. Houve cocktail e houve discursos. Para terminar houve palhaços a dobrar: os doutores e os cantores. Uns faziam playback e os outros cantavam escondidos, o hino da Operação Nariz Vermelho. No fim juntámo-nos e montou-se o circo!

Já depois de Serralves fechar, tivemos o prazer de jantar com os doutores palhaços e conhecer um pouco mais, não só todo o trabalho que esta associação desenvolve, mas também as pessoas. Foi um serão inesquecível a todos os níveis. Obrigado Dra. Graça, Dra. Zuzu, Enfermeira Jeropiga, Dr. Pipoca, Dr. Chocapic, Dr. Batota, Dr. Bambu, à Mónica, à Rute, a toda a equipa da O.N.V. e à nossa madrinha Nicole.


5 comentários:

Tany disse...

Em Inglaterra também existe um "Red Nose Day", em Fevereiro, em que todas as pessoas são chamadas a adquirir um nariz vermelho e o dinheiro reverte para organizações de ajuda. Fazem espectáculos e tudo para conseguirem mais donativos, é algo mesmo em grande.

Fico contente por também haver algo do género por cá, só é pena não ser tão mediático (pelo menos não tinha ouvido falar).

Gostei do vídeo e da iniciativa.

Bjinhos

São Rosas disse...

E Vozes também sois grandes!

Aldina Duarte disse...

"Meter o nariz" pode ser querer saber mais, querer fazer melhor... neste caso é clarinho como a alma, quem cantam "à séria" como as Vozes mesmo quando é a brincar, não espanta vê-los a meter este magnífico nariz vermelho.

Até sempre!

marafuz disse...

Parabéns rapazes!
Grandes corações.

helena disse...

maravilha de vozes e narizes!!! fora sem dúvida o melhor da festa de serralves!!