05 setembro 2007

98 ponto Nova

Toda a gente sabe que temos um carinho especial pela rádio. É tão grande essa ligação, que transportamos o nome rádio às nossas costas há 16 anos.
Há no entanto umas que nos estão mais próximas do que outras. A Rádio Nova, é das que está colada a nós. Foi lá que em 2002 desenvolvemos um dos projectos mais criativos da nossa carreira, o Dia dos Senhores, programa que nos pôs no ar aos domingos de manhã, todas as semanas. A nós juntava-se o Sérgio Sousa e montava-se o circo com palhaços, acrobatas e cães amestrados. Alguns minutos desses tempos já foram aqui colocados e os que temos em carteira ainda darão para muitos esgalhanços.
Ontem a Rádio Nova atingiu a maior idade. E a festa (que ainda faz os seus efeitos), teve a presença dos Senhores! Foi um excelente serão cheio de reencontros com os nossos ex-colegas de estúdio, com os senhores directores, com os senhores accionistas, até com um velho colega de escola que não via há muitos anos.
Depois de um repasto de nível, com a escolha de vinhos a ser feita e comentada pelo Hildérico Coutinho da Galeria de Vinhos, passou-se aos discursos e às recordações da Nova. E com emoção ouvimo-nos na galeria das boas recordações da rádio.
Estar num convívio destes e não cantar é como o clássico ir a Roma e não ver o Papa. Por isso lá desfiámos o Vídeo Killed the Rádio Star (numa clara homenagem a estes 18 anos) e o Goodbye my love, goodbye, essa execrável canção que nos trouxe à memória o programa sobre Cultura Russa, onde este tema foi cantado pela primeira vez.
Acabámos em cavaqueira no parque de estacionamento (ao menos era ao ar livre) e a conversa foi deslizando. Saímos de lá já passava das 3. O grande Kikas até prometeu um remix de um tema nosso. Vamos lá ficar expectantes à espera.
Para a Rádio Nova, agora que tem a maior idade, as maiores felicidades. E já sabem, jantares, convívios, festas… contem sempre com as Vozes. E para o resto também, mas essa é conversa para outra altura.
A mesa em que ficaram os meus amiguinhos. Desta vez não fiquei com eles. Sentaram-me na mesa do Sérgio, do Nóbrega, do Filipe, do shô director e mais uns companheiros de jantar.

Momento de ternura entre o escriba deste esgalhanço, o Sérgio e o Filipe (agora no Rádio Clube Português).

Imagem deplorável do fim do jantar. César Nóbrega, grande jornalista, crítico de cinema daqueles que vão a Cannes e tudo, animador de nível das manhãs da Nova demonstra todo o seu afecto por um dos cantores do grupo a cappella que esteve no jantar da Nova. A verdade é que a culpa deste momento arrebatado é do Hildérico e dos néctares que ele escolheu.

5 comentários:

Miúdo disse...

Não posso deixar de dizer que gostei muito de seringar na festa da maioridade desta rádio que tanto nos diz. Parabéns Rádio Nova!

marafuz disse...

Desculpem enganei-me no blog.

Não se acanhem por mim que já estou de saída..
Apre...

Tany disse...

Que saudades do Dia dos Senhores (que ouvia sempre no vosso antigo site)... Foi pena ter acabado... Se for preciso assinar alguma petição para voltarem contem comigo lol

Bjinhos

maneluska disse...

Parabéns à Rádio Nova, é a minha Favorita!

Quanto ao César Nóbrega... imaginava-o mais "recatado"... ;)

César disse...

Os néctares do Hildérico fazem coisas que nem se imaginam! A reputação de um homem vai toda pela água abaixo!!!!!!! (água?)Querida Maneluska normalmente sou muito mais recatado (acho eu!).

Parabéns Rádio Nova e sobretudo Parabéns Vozes da Rádio vocês são os maiores!

Abraço

César Nóbrega