30 setembro 2007

E o que é que faz falta?

O assunto vai ser abordado aqui pela segunda vez. Não o faria se não o achasse de extraordinária importância. É aliás assunto recorrente, nas viagens da Vozes. Quantos milhares de quilómetros foram já feitos tendo como banda sonora a discussão sobre o uso do bidé.
Há neste grupo quem defenda o uso obrigatório deste equipamento sanitário. Há quem o considere de importância menor, e como tal, podem imaginar o tipo de argumentação que é usado para defesa da sua dama… quer dizer, da sua opinião, não vá a imagem causar confusão nas vossas mentes.
Como disse, repito a história: as nossas duas passagens por Macau (1996, 2001) ficam marcadas de forma indelével pela ausência de bidés nos quartos. Falo-vos de uma opção clara dos asiáticos, pois tratavam-se de hotéis com mais estrelas que o plantel do meu Benfica. Em vez de seguirem os bons hábitos que os lusos para lá levaram, foram pelo caminho dos americanos com a ausência do bidé. Ao invés, têm umas sanitas que parecem réplicas caseiras dos lagos suíços: água até ao rebordo, sem termos percebido a verdadeira utilidade de tal. Ainda sugeri que podia eventualmente ser útil para lavar a cara aos pequenos, mas ninguém me acompanhou neste raciocínio.
Eu, que ocupo a barricada dos que vivem sem água, sem luz, sem comer até, mas nunca sem bidé, sobrevivi a estas duas viagens, que somando os dias todos, dão mais de 3 semanas.
Na nossa também aqui já falada passagem pela rádio, não deixámos de cantar a nossa revolta, e assim fizemos este “Falta-me um bidé”, sobre um êxito disco de Patrick Hernandez (Born to be alive). É este momento maior da rádio portuguesa, talvez só ombreando com os comunicados do MFA transmitidos do posto de comando do Rádio Clube Português, que aqui vos deixo, como que antecipando o Dia Mundial da Música. Chamo a particular atenção para a incrustação final inspirada no grupo de cantares de Manhouce. É a cereja no topo do bolo. É isto que faz de nós, modéstia à parte, os maiores!

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA

4 comentários:

Leo disse...

Obrigada pelo momento H I L A (hilariante, para os que enão conhecem o este movimento). Já não me lembrava desta extraordinária versão. De facto, e sem margem para dúvidas, são os maiores!!
Aguardo por mais momentos destes.
Bjs

São Rosas disse...

Eu, que sou gaja, ainda sinto mais falta.

Anónimo disse...

http://acheterviagragnerique1.net/ viagra prix
http://comprarviagragenerico1.net/ viagra
http://acquistareviagragenerico1.net/ acquisto viagra
http://kaufenvaigragenerika1.net/ viagra

Anónimo disse...

http://commandercialisgeneriquefr.net/ cialis commander
http://acquistarecialisitaliaonline.net/ vendita cialis
http://comprarcialisespanaonline.net/ cialis comprar
http://achetercialisfranceonline.net/ vente cialis