03 setembro 2007

Momentos pseudo

As férias baralham-me o sistema. Quem está habituado a rotinas sabe bem que as férias são óptimas para quebrar os ditos esquemas de quem faz as coisas repetidamente e sempre da mesma maneira. Por preguiça (ou por causa da tal rotina) geralmente ando com seis cds no carro, e oiço-os repetidamente. Porém, nas férias, sabe bem abandonar e baralhar o tal modus vivendis e variar aquilo que se ouve. Qual a melhor escolha para trazer no carro? Sem dúvida um cd que nunca aqui se falou. Já ouviram falar do Sete e Pico, Oito e Coisa, Nove e Tal?? Aconselho vivamente.


Deixo-vos com algumas fotos pseudo-inéditas do ambiente do estúdio onde foi construída esta raridade do actual panorama musical português (as férias também servem para encontrar fotografias esquecidas e usá-las quando é oportuno... que, por acaso, não é o caso).




Tomi a sorrir da sua prestação nos Amores das Beiras, canção essa que está conotada como sendo uma variação do Eu tenho dois amores do Marco Paulo... A temática subjacente é a mesma, apenas o fim é diferente: a música dos Mafra é mesmo escrita para duas mulheres.



Vítor Silva, uma das pedras fundamentais para o sucesso inqualificável do Sete e Pico. O segredo está no guaraná que bebe desenfreadamente.



Nem é preciso dizer quem é... o seu cabelo à manjerico revela o verdadeiro Kapellmeister deste conjunto vocal, que goza com serenidade a obra de arte mais recente. Um momento de rara beleza captada ali para os lados da Maia.

3 comentários:

São Rosas disse...

Na cabeça do Kapellmeister (o que se aprende com o Miúdo) faz falta uma uma bandeirinha com uma quadra ao Santo António. Por exemplo:

Santo, tu vens ao Bolhõue
Abençoar o pessoal?
Somos cinco fora o cõue
Oito e coisa, nove e tal.

Vozes da Rádio disse...

TÁ LINDA! :D

marafuz disse...

Categoria!